Guia: como criar programas de incentivo em PMEs

Certamente, você já deve ter se perguntando que ações poderia tomar para aumentar a produtividade da sua equipe, não é mesmo? Para se destacar no mercado, a empresa precisa prezar, acima de tudo, pela qualidade dos produtos ou serviços oferecidos. Mas, como garantir que seus funcionários estejam engajados o suficiente para te ajudar atingir essa excelência? Uma boa ideia é criar um programa de incentivo.

Os programas de incentivo são um conjunto de estratégias criadas por uma empresa para garantir o engajamento de colaboradores. É um esquema de premiação de funcionários baseado em três pilares: engajamento, reconhecimento e recompensa.  Além de melhorar a motivação, esse tipo de ação diminui o turnover, o que também é extremamente benéfico para qualquer organização.

Grandes empresas costumam ter programas de incentivo coordenados pelo departamento de Recursos Humanos, mas você sabia que também é possível utilizar essas estratégias em Pequenas e Médias Empresas (PMEs)?

Confira agora nosso guia completo para aprender como criar um plano de incentivos de sucesso. Ao final, ainda apresentamos alguns cases de sucesso para você se convencer de uma vez por todas da importância desses benefícios.  Acompanhe!

1. Entenda as necessidades dos colaboradores

Nós passamos cerca de 1/3 de nossas vidas no ambiente de trabalho. Por isso, é muito importante deixar esse ambiente amigável e produtivo. Ao mesmo tempo, as pessoas são diferentes em seus interesses, desejos e sonhos. Para criar um programa de incentivo eficaz, é necessário entender as necessidades dos colaboradores.

A pirâmide de Maslow

Mesmo com as individualidades, uma ferramenta que pode ajudar muito a entender as necessidades humanas é a pirâmide de Maslow. Essa pirâmide foi criada por um psicólogo, a partir de um estudo que elencou as cinco principais necessidades das pessoas — necessidades essas que se sobrepõem umas às outras de maneira hierárquica.

Basicamente, o que ele diz é que, quando um nível da pirâmide é superado, a motivação é passada para o próximo. A base da pirâmide é representada pelas necessidades fisiológicas que todo ser humano possui, passando para a necessidade de segurança (seja do trabalho, da família, da propriedade etc.). Depois, vem a necessidade de relacionamentos, ou seja, amor, família e amigos.

Os dois últimos patamares são representados, respectivamente, pela estima (confiança, conquista, respeito dos outros, respeito aos outros) e realizações pessoais. A verdade é que a maioria das empresas só supre os três primeiros patamares, esquecendo-se das necessidades mais complexas que se encontram no topo da pirâmide. Buscar o entendimento dessas necessidades é o que vai definir o sucesso do seu programa de incentivo.

As mentalidades da empresa

Existem basicamente três tipos de mentalidade que podem estar presentes nas empresas, segundo um artigo publicado na Forbes. A primeira é a mentalidade de trabalho, que é quando um funcionário trabalha pura e simplesmente para receber seu salário no final do mês. A segunda, é a mentalidade de carreira, quando o funcionário demonstra que sente a necessidade de reconhecimento e crescimento profissional.

Por fim, a mentalidade de propósito, quando as pessoas são apaixonadas pelo que fazem. Se a sua empresa demonstra predominantemente uma mentalidade de trabalho, então realmente está faltando motivação.

Conhecendo seus funcionários

Sabendo de tudo que apresentamos, você deve ter percebido a necessidade de conhecer seus colaboradores, não é mesmo? O primeiro passo para isso ocorre com a simples observação de seus comportamentos e desempenhos. Em empresas muito grandes, isso pode ser um pouco mais complicado, visto que as relações são mais distantes. Mas, para PMEs essa é uma tarefa um pouco mais simples.

Um gestor deve saber quais as habilidades das pessoas que compõe a sua equipe. Um mapeamento disso permite que as pessoas com as competências certas sejam destinadas a tarefas em que se destaquem. A comunicação direta é ferramenta fundamental para conhecer o perfil dos seus funcionários.

Fazer avaliações constantes sobre o nível de satisfação pode ajudar muito. Isso pode ser feito de forma anônima para deixar seus colaboradores mais confortáveis. Com pesquisas periódicas, fica mais fácil identificar o que está dando certo, o que pode ser melhorado e o que precisa mudar drasticamente.

2. Crie regras simples e claras para o programa de incentivo

Criar regras em um programa de incentivo é fundamental para que seus funcionários entendam as metas que devem atingir, sem brechas para confusões. As regras devem atender a alguns pilares básicos.

Objetivo

Deixar claro, já no regulamento, qual é o objetivo daquele programa de incentivo é fundamental. O que a empresa precisa? Aumentar as vendas? Melhorar a qualidade do serviço? Atrair mais clientes? Não se preocupe, explicaremos isso melhor mais adiante.

Desempenho

Além do objetivo, é importante ressaltar qual é o desempenho desejado pelos colaboradores participantes. Mais importante ainda é que esse desempenho possa ser mensurado pelos gestores. No caso de programas de incentivo, um desempenho por objetivos é, geralmente, avaliado. Ou seja, a pessoa ou a equipe trouxe os melhores resultados para a empresa?

Benefícios

Também no regulamento é preciso conter quais serão os benefícios serão concedidos quando cada meta for atingida. As opções de benefícios são inúmeras e, mais à frente daremos algumas ideias que você pode aplicar na sua empresa.

Cronograma

Já no regulamento é importante estipular os prazos para que determinadas metas sejam atingidas. Isso estimula seus colaboradores, além de deixar o trabalho mais organizado. A verdade é que um cronograma é importante para qualquer processo da sua empresa.

3. Estipule objetivos possíveis dentro do programa

Um plano de benefícios nunca deve ser implantado sem a definição de uma estratégia. É preciso identificar um problema que a empresa queira solucionar. Afinal, esse tipo de benefício tem custos e deve ser visto como um investimento.  

O número de vendas caiu? Crie um benefício que estimule seus funcionários a superar as metas mensais. O turnover da sua empresa está muito alto? Estipule benefícios que permitam que os funcionários cresçam dentro da empresa. O número de acidentes de trabalho está muito elevado na sua fábrica? Crie uma premiação caso o número de dias sem acidentes ultrapasse determinada meta.

Deu para entender que, para cada problema, é possível criar um programa que incentive a solução? O importante é usar a criatividade para que os incentivos sejam motivadores o suficiente, sem gerar uma competição tóxica entre os seus funcionários. A ideia é fazer com que todo mundo trabalhe junto por um bem maior e não criar um ambiente onde uma pessoa passe a perna na outra só para conquistar os benefícios.

4. Defina os benefícios a serem oferecidos

Agora que você já sabe que todo programa de incentivo precisa ter objetivos bem definidos, está na hora de conhecer algumas ideias de benefícios que você pode implantar na sua PME.

Viagens

As viagens de incentivo representam uma das melhores premiações dentro de programas de incentivo. Afinal, quem não gosta de conhecer novos lugares? Viajar é uma oportunidade única de fugir da rotina explorando o novo. As viagens de incentivo podem ter cunho profissional ou apenas de lazer.

O mais importante desse tipo de benefício é produzir o efeito recall, que é, basicamente, a capacidade que uma experiência tem de se tornar memorável no longo prazo. Por isso, muito além de passagens e hospedagem, é importante que a experiência seja ímpar.

Isso já é definido desde a escolha do destino, que deve obedecer a um orçamento e manter um equilíbrio com as atividades oferecidas. Por exemplo, se você escolhe oferecer uma viagem para a França, é importante conceder também ingressos para espetáculos, museus e descontos em restaurantes. Se o destino escolhido for Orlando, obviamente os ingressos dos parques devem estar inclusos.

Ao criar uma política de viagens de incentivo, é importante criar uma cultura de compartilhamento. Ou seja, as pessoas que já receberam o benefício devem ser incentivadas a compartilhar sua experiência por meio de fotos, textos e depoimentos. Isso potencializa a vontade de alguém ser o próximo, melhorando ainda mais os resultados obtidos com esse tipo de ação.

Participação nos lucros

O Programa de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) é um programa de remuneração variável muito comum nas empresas e já está amparado pela lei. A adoção desse benefício não é obrigatória e gera um pouco de contradição entre os empregadores. Para implementar esse benefício, é importante que as metas estejam bastante claras desde o início. A política de remuneração deve ser criada junto aos colaboradores através de um comitê.

É importante ressaltar que esse é um benefício variável, ou seja, funcionários podem receber quantias diferentes de acordo com as metas preestabelecidas. Esse tipo de remuneração é isento de encargos tributários, o que torna o atributo mais atraente para as companhias.  

O PLR é o tipo de programa que passa uma mensagem de inclusão e reconhecimento para os integrantes de uma organização. Afinal de contas, quanto melhor o desempenho das equipes, maior será o valor recebido por cada um. Os funcionários passam a trabalhar como “donos do negócio” e essa mentalidade muda muito a maneira como cada um se desempenha.

Outra grande vantagem de implementar um PLR é que ele é um benefício coletivo, o que incentiva as pessoas a trabalharem em conjunto por um bem maior. É, porém, um dos programas que exige mais planejamento e transparência. Portanto, só deve ser implementado após muita maturação e estudos sobre o assunto.

Presentes corporativos

Um excelente prêmio para quem atingiu alguma meta é um presente corporativo. Ele pode ser oferecido em diversos momentos: por tempo de casa, por meta atingida e em datas comemorativas. A grande vantagem de presentes corporativos é que eles podem agradar facilmente, cabendo nos mais variados orçamentos. Quer algumas ideias de presentes legais para incluir no seu programa de incentivo? Então, anote aí!

Jantares

Vouchers para jantares em restaurantes e gastropubs mais chiques são uma ótima opção de presente. Além de não serem tão caros, eles criam aquele efeito recall que já mencionamos. Por isso, é importante escolher restaurantes que, além de uma comida boa, tenham excelência no serviço. Lembre-se de que o efeito recall vale tanto para experiências boas quanto para as ruins.

Day spa

Quem trabalha muito todos os dias, sabe o quanto a rotina pode ser estressante. Ao oferecer um dia relaxante em um spa, o empregador “mata dois coelhos com uma cajadada só”. Além de ser um benefício que, por si só, melhora o engajamento, a pessoa que passar um período relaxando e cuidando de si voltará motivada e agradecida.

Os tratamentos oferecidos em spas promovem relaxamento e desintoxicação. Alguns até ensinam atividades de mindfulness que podem ser utilizadas depois no dia a dia. Mais uma vez, é um tipo de experiência que, se memorável, será desejada pelos outros colaboradores.

Bolsas de estudo

Investir na educação dos colaboradores é vantajoso para qualquer organização, pois profissionais mais capacitados produzem mais e melhor. Para o funcionário, a mensagem passada é de que a empresa acredita no seu potencial e que há possibilidade de crescimento naquela área.

As bolsas de estudo podem ser tanto ser para cursos de longa duração, quanto para cursos de idiomas e até especializações. Algumas grandes empresas já investem em MBA para seus funcionários, que voltam a trabalhar em cargos mais altos quando terminam o curso. Para implementar esse benefício, é fundamental entender os funcionários, como esclarecemos no começo deste artigo.

Produtos em alta

Você já parou para pensar que sempre existe um produto da moda, que é desejado pela maioria das pessoas? Você pode colocar tais produtos como presente corporativo dentro dos seus programas de incentivo. Pode ser um computador de última geração, um celular incrível, uma caixa de som potente, uma moto ou automóvel (se isso couber no seu orçamento, claro) etc. Aqui, a criatividade, atrelada ao conhecimento dos seus colaboradores, é primordial.

Plano de carreira

Um dos maiores motivos da resignação de funcionários é a falta de perspectiva em crescer. Em PMEs, o panorama de crescimento é ainda mais limitado se a própria empresa não tem como objetivo expandir. Esse problema é muito comum em empresas familiares, por exemplo. Todavia, para sobreviver no mercado, crescer torna-se quase obrigatório.

Tendo em vista esse cenário, possibilitar que seus colaboradores cresçam com você é uma ótima opção para mantê-los engajados e fazer com que trabalhem tendo um propósito. O primeiro passo para criar um programa de plano de carreira de sucesso é ter um organograma bem definido. Quais são os cargos que existem na sua empresa? Qual o escopo de atividades exercidas por cada um deles?

Em seguida, é necessário elencar as qualificações que o profissional deve ter para ocupar cada um desses cargos. Com todas essas informações, fica muito mais fácil traçar as metas que seu funcionário precisa atingir para ser promovido. A afinidade dos seus colaboradores com determinados cargos também deve ser levada em consideração.

 Muitas empresas já têm adotado o esquema de carreira Y, na qual, em um determinado momento, o funcionário poderá escolher entre ser gestor ou especialista. Outro modelo de carreira que vem ganhando destaque, é a carreira em W, na qual o profissional pode se tornar um gestor de projetos. A verdade é que a política de plano de carreiras varia muito com o tamanho da empresa, o tipo de negócio, a velocidade de crescimento etc. O importante é deixar claro para seus colaboradores que, por meritocracia, eles podem vir a se tornar grandes.

5. Faça a divulgação correta do plano de incentivos 

Você já entendeu a importância, criou um regulamento e determinou quais benefícios se aplicam à sua empresa. Agora é hora de divulgar o programa de incentivo para os seus funcionários. Você sabe qual é a maneira mais efetiva de fazê-lo?

O primeiro passo é incluir seus funcionários no processo de planejamento, como já apontamos. Outro ponto importante é utilizar ferramentas de comunicação interna para a divulgação. Se você não sabe do que estamos falando, fique atento, pois comunicação interna está diretamente relacionada com a motivação de funcionários.

Uma ferramenta útil nesse sentido é a própria intranet, se ela existir. E-mails e newsletter também podem ser métodos bastante interessantes. Por fim, por que não divulgar em murais de aviso espalhados pelas instalações da sua empresa? O importante é que a informação chegue para todos os interessados.

Além da existência do programa, é de suma importância que os resultados também sejam mostrados. Uma pequena parte reservada na newsletter mensal para divulgá-los, já pode ser bastante útil para engajar as pessoas a participarem. Isso é aplicável para quase todo o tipo de benefício concedido.

6. Cases de sucesso

Ufa! Agora você já sabe tudo sobre como montar um bom programa de incentivo. Contudo, se você ainda não está convencido de que isso é um investimento válido, trouxemos agora alguns cases de sucesso para você se inspirar. Confira!

Brandili

A Brandili é uma marca de roupas infantis que conta com cerca de 1,7 mil colaboradores que criou um programa para incentivar os funcionários a trocarem elogios. O programa, chamado “Valeu!”, funcionava da seguinte forma: a cada dois meses, funcionários de todos os departamentos recebiam uma raspadinha que continha um dos valores da empresa. Os funcionários então tinham que indicar uma pessoa que praticasse bem esses valores, depositando seu nome em uma urna com uma justificativa.

Ao final do bimestre, os votos eram contabilizados e validados e o vencedor participava de um evento de reconhecimento em que recebia um kit de camisetas para serem usadas como uniforme. Uma simples ação como essa, além de melhorar o clima organizacional, reduziu em 20% o número de demissões. Gostou da ideia?

Wise up

A Wise up é uma rede de escola de idiomas, que conta com mais de 120 unidades em vários lugares do mundo. O programa Hunting Winners já está mais que consolidado e promove premiações para aqueles que conseguem atrair mais alunos. É no esquema de um game que essa empresa consegue motivar seus funcionários, ao mesmo tempo que não para de expandir. Inteligente, concorda?

Colgate

A Colgate, empresa de produtos odontológicos, tem um programa de incentivo que se chama Super Clube Colgate. O objetivo desse programa é justamente melhorar a performance individual, alinhando-a com as metas coletivas. Os funcionários que alcançam determinados objetivos, ganham pontos que podem ser trocados por produtos e serviços.

A comunicação é feita inicialmente por SMS e e-mail de marketing, mas o programa já conta com um site próprio, no qual o funcionário participante entra com seus dados e pode acompanhar a quantidade de pontos, além de realizar as transações de troca.

Votorantim

A Votorantim estava enfrentando a necessidade de estreitar a relação com os lojistas que revendiam seus produtos. Para isso, criou o programa Juntos Somos + Votorantim Cimentos, que premiava a equipe de vendas que batiam metas em relação ao desenvolvimento social e profissional dos lojistas.

A empresa também desenvolveu um site para o programa, no qual os participantes podiam monitorar o seu desempenho e fazer o resgate de suas premiações. Além disso, foi criada uma equipe de atendimento específica para o programa e a comunicação era através do envio periódico de malas diretas com informações e notícias sobre o assunto.

Os resultados foram fantásticos: houve um aumento do número de vendas, principalmente dos produtos mais caros. O mix de produtos vendidos também melhorou bastante. As vantagens também se estendiam aos lojistas, que podiam converter as compras da cartela Votorantim em melhorias para o seu ponto de venda.

Gostou desses cases? Conhece mais algum? Estudar o sucesso (e também o fracasso) dos outros é muito importante para a criação de novos projetos. Utilize esses cases para se inspirar e sempre busque novas informações. Por fim, não se esqueça nunca o valor que as pessoas têm para as organizações. Mão de obra você acha em qualquer lugar — mão de obra qualificada e com amor pelo que faz já não é tão abundante assim.

Está preparado para criar seu programa de incentivo? Seja a resposta para essa pergunta positiva ou negativa, não deixe de assinar nossa newsletter registrando seu e-mail na caixa ao lado. Assim, você receberá muitas informações com ideias de benefícios, dicas de gestão de pessoas, ações de motivação… Enfim, tudo para ajudar sua empresa crescer!

Deixe um comentário