Motivação profissional: guia completo para engajar seu colaborador

Quanto mais o tempo passa, mais os mercados crescem e, consequentemente, a competitividade aumenta. Diante disso, as companhias passam a buscar os melhores resultados, que são obtidos por diversos fatores, entre os quais podemos destacar a motivação profissional. É ela que garante produtividade, permanência na empresa e parte do sucesso de uma organização.

A desmotivação pode ter motivos distintos. Pode até ser algo pessoal. Mas, a partir do momento em que um grupo de profissionais se encontra nessa situação, a empresa pode estar agindo como um dos fatores de influência. Por isso, medidas para manter seus colaboradores sempre engajados devem estar entre as prioridades do departamento de RH de qualquer organização.

Motivar as pessoas pode parecer bastante difícil, afinal, cada indivíduo é único. No entanto, existem diversas ações que podem auxiliá-lo no engajamento de colaboradores. Para ajudar nessa tarefa, fizemos um guia completo sobre o assunto. Se você quer saber tudo sobre motivação profissional, é só continuar lendo este artigo. Vamos lá?

A importância de manter os colaboradores motivados

O conceito de motivação

Para entender sua importância, é preciso conhecer bem o conceito: motivação são as razões que levam alguém a realizar uma ação. Se colocamos isso no âmbito corporativo, a motivação profissional é tudo aquilo que faz com que o seu colaborador queira realizar com excelência as tarefas, buscando sempre apresentar os melhores resultados.

A motivação tem relação também com a direção, intensidade e persistência do esforço realizado por um indivíduo para alcançar seus objetivos.

A diferença entre ganhar e perder é muitas vezes não desistir.

Walt Disney

As organizações têm responsabilidade sobre a motivação profissional, mas a automotivação, ou seja, a capacidade que um indivíduo tem de se motivar, também deve ser levada em consideração.

A pirâmide de Maslow

É impossível falar de motivação sem falar sobre a pirâmide de Maslow. Abraham Maslow (1908-1970) foi um psicólogo americano que separou hierarquicamente as necessidades humanas. Ela foi desenvolvida na década de 50, mas ainda serve bastante para uma boa reflexão.

Em sua base, estão as necessidades fisiológicas, como respirar, dormir e comer. No segundo patamar, vem a segurança, seja ela no trabalho, seja com o corpo, ou na família. Depois, vêm as necessidades sociais, já que o ser humano é um ser que precisa interagir com os outros. É aquela sensação de pertencimento que todos almejam.

Os últimos dois patamares são relacionados com a estima e realizações pessoais, respectivamente. O primeiro é aquele que busca status, reconhecimento e a própria autoestima. O segundo é a busca por talento, criatividade e desenvolvimento pessoal.

Um ser motivado e feliz é aquele que tem todas as suas necessidades atendidas. Isso pode ser comprovado com uma análise social muito simples. Pegue como exemplo uma pessoa muito rica, que tem quase todas as necessidades atendidas, exceto por uma: a social. Problemas familiares, amores mal resolvidos, ausência de amigos verdadeiros. Tudo isso pode resultar em um quadro de depressão.

Uma empresa que quer engajar seus colaboradores, portanto, deve procurar suprir as necessidades com base nessa pirâmide. Diferentes ações podem ser tomadas no que diz respeito a cada patamar, mas discutiremos isso mais adiante.

O porquê da motivação

Se a motivação consiste nas razões para efetivar uma ação, fica claro que, sem ela, os resultados esperados de um colaborador não serão apresentados ou isso acontecerá de maneira insatisfatória. Motivar a equipe traz muitos benefícios. Porém, além de privar uma organização desses benefícios, a falta de motivação pode causar sérios problemas.

Benefícios que um colaborador motivado traz para a empresa

Como acabamos de falar, a motivação é uma fonte de excelentes benefícios para uma organização. Separamos alguns que lhe convencerão a criar uma cultura de motivação e benefícios para funcionários na sua empresa:

Melhoria dos índices de produtividade

Um profissional motivado tem vontade de trabalhar porque gosta e acredita no que está fazendo. Isso reflete diretamente nos resultados para o negócio. Por exemplo, um funcionário engajado não ficará enrolando para realizar suas tarefas e, muito menos, as fará de maneira medíocre só para apresentar alguma coisa. Pense no quão benéfico isso é para uma organização!

Retenção de talentos

Se uma pessoa se sente feliz onde está trabalhando, não há razão lógica para que ela busque outro emprego, correto? Os benefícios decorrentes disso são imensos. Para começar, há uma redução nos custos com novas contratações.

Além do mais, é muito mais fácil lidar com profissionais que já estão habituados com seus afazeres cotidianos do que treinar alguém novamente. Por fim, pense na quantidade de conhecimento que sua empresa investiu para capacitar os seus colaboradores. Você não quer entregar isso de mão beijada para a concorrência, não é mesmo?

Otimização do tempo

A produtividade está diretamente relacionada com a otimização do tempo. Profissionais motivados e engajados conseguem realizar seus afazeres de maneira mais efetiva, demorando menos para isso, o que reduz muito o tempo empregado em cada processo. Como você já deve estar cansado de saber, tempo é dinheiro.

Melhoria no clima organizacional

O clima organizacional é a percepção coletiva que os funcionários têm de uma empresa. Quando todos trabalham bem, isto é, por meio do alcance dos resultados esperados, há uma sensação geral de satisfação. Isso reflete nos relacionamentos interpessoais, que serão menos conflituosos na colaboração e trabalho em equipe. Desse modo, as pessoas desejarão unir forças para fazer cada dia mais e melhor.

Crescimento pessoal

Quando um colaborador consegue desenvolver bem o seu trabalho, consequentemente, se torna mais confiante. Nesse sentido, as estratégias organizacionais das empresas muitas vezes são levadas para o âmbito pessoal. Isso é excelente, pois esse estado de espírito vai levar o funcionário a buscar o próprio crescimento. Há uma mudança completa na relação que uma pessoa tem com o trabalho.

Escolha um trabalho que você ame e não terás que trabalhar um único dia em sua vida.

Confúcio

Problemas causados pela falta de motivação dos colaboradores

Como você pode perceber, a motivação profissional é extremamente benéfica. Porém, a desmotivação, além de não trazer benefício nenhum, ainda pode trazer problemas e prejuízos. Listamos a seguir os que consideramos mais graves.

​Baixa produtividade

Da mesma forma que a motivação melhora os indicadores de produtividade, a desmotivação vem como uma forma de reduzi-los. O estresse, as falhas na comunicação interna e uma equipe insatisfeita com o resultado são sintomas desse quadro de baixa motivação. Procurar maneiras de mostrar ao funcionário o quanto ele é importante para sua organização é essencial para reverter esse quadro, bem como garante um ambiente sadio de trabalho.

Conflitos e falta de colaboração

Se a falta de motivação pode gerar problemas como estresse e falhas de comunicação, não é difícil prever que conflitos entre colaboradores passarão a ocorrer com mais frequência. Com isso, um ciclo vicioso se inicia, pois:

  • os profissionais desmotivados brigam entre si;
  • os conflitos geram mais estresse;
  • o estresse deixa o ambiente de trabalho mais hostil;
  • um ambiente hostilizado desmotiva ainda mais os colaboradores, e por aí vai.

Isso sem nem ressaltar o quanto é difícil fazer com que pessoas trabalhem juntas sem o espírito colaborativo proveniente de um bom engajamento. É problema gerando problema e, quanto mais for negligenciado, mais difícil será de ser resolvido.

Perda de talentos

Ninguém quer trabalhar em um ambiente hostil. Mesmo que não exista agressividade nos meios de trabalho, é muito frustrante trabalhar sem objetivos pessoais. Se a pessoa não encontra razões de realizar determinadas tarefas, ela buscará isso em outros lugares. É a necessidade de suprir a autoestima e se desenvolver pessoalmente, das quais falamos quando discutimos a pirâmide de Maslow.

Você pode até acreditar que todo colaborador é substituível, mas, na prática, isso não é verdade. Cada pessoa tem seus talentos, que são muito úteis para sua organização (caso contrário, a contratação não teria sido feita).

Ao falhar na missão de motivar, o risco de as pessoas buscarem outras alternativas aumenta muito, o que significa perder tempo e dinheiro com novas contratações e treinamentos. Nesse caso, ainda que haja a substituição, se não houver uma mudança no cenário da motivação profissional, a perda de talentos continuará acontecendo.

Os problemas podem ser devastadores para algumas empresas e é por isso que um diagnóstico correto e medidas para criar a motivação dentro de uma organização são essenciais.

Melhores formas de engajar os colaboradores

Um estudo conduzido pela psicóloga Sandi Mann, da Universidade Central de Lancashire, do Reino Unido, descobriu que um quarto dos trabalhadores sofrem de tédio crônico no trabalho. Isso é consequência de três cenários básicos:

  • mau relacionamento com o líder;
  • desacordo com a cultura da empresa;
  • escolha errônea de carreira.

Acredite: existe solução para qualquer um deles! Separamos aqui algumas ações, diferentes do simples ato de aumentar o salário, que vão melhorar muito o engajamento dos seus colaboradores. Preparado? Siga a leitura.

Dê autonomia

A autonomia, ou independência, é o ponto-chave da motivação profissional. Não ter um chefe “buzinando” na cabeça é algo que faz os olhos de muitas pessoas brilharem. Ao dar essa liberdade aos seus colaboradores, um líder demonstra confiança.

Cada vez mais, gigantes como a Google e Facebook tem usado metodologias que pregam autonomia. Com estímulo à criatividade e aumento da capacidade de se resolver problemas, as empresas têm conquistado mais benefícios, tais como:

  • dinamismo e adaptabilidade das rotinas;
  • desenvolvimento de novas habilidades;
  • aumento da responsabilidade individual;
  • aumento da produtividade;
  • melhora do autoconhecimento.

A autonomia tem muito a ver com o resultado a ser obtido e não muito em como isso acontecerá. Cada profissional tem sua maneira de trabalhar, que não combina necessariamente com processos burocráticos e engessados encontrados nas empresas por aí. Portanto, se os objetivos estão sendo alcançados dentro do prazo estabelecido, por que não deixar o profissional escolher o melhor caminho para ele?

Obviamente, a liberdade é algo a ser conquistado. Exige demonstrações prévias de desempenho e uma comunicação quase impecável com os gestores. Ainda assim, é, definitivamente, uma das maneiras mais eficazes de motivar pessoas em uma organização.

Ofereça benefícios

O ser humano também é movido pelo dinheiro e, por isso, um salário bem pago é um grande diferencial para alguém permanecer em um cargo ou em uma empresa. No entanto, nem sempre essa é uma opção viável devido à diversas questões legais e financeiras. Uma ótima maneira de melhorar o engajamento dos seus funcionários é oferecer benefícios que vão além da folha de pagamento.

Esses benefícios podem ser financeiros ou não. Podem ser desde os clássicos, como vale-transporte, vale-alimentação, plano de saúde etc., até os inusitados, como folgas mensais, flexibilidade de horário, creche etc. Separamos abaixo algumas ideias legais de benefícios que você pode oferecer como forma de reconhecer o colaborador.

Cesta Básica

Não é fácil agradar a todo mundo. Porém, a cesta básica é o tipo de benefício que consegue deixar a grande maioria feliz, principalmente, as pessoas que têm uma família para cuidar. É uma forma de a empresa demonstrar um interesse genuíno pela saúde e pelo bem-estar dos trabalhadores.

A grande vantagem da cesta está em sua versatilidade, pois seu tamanho e qualidade dos produtos podem ser escolhidos de acordo com o orçamento do empregador. Diferente do vale-alimentação, a distribuição de cestas garante uma alimentação básica saudável na medida do possível.

Plano de saúde

Muitas pessoas não conseguem se planejar para pagar um plano de saúde, dependendo quase sempre dos serviços públicos. Ao oferecer um convênio médico não só para o colaborador, mas para sua família, você estará garantindo novamente o seu bom estado de saúde.

Com um bom convênio, que atenda às necessidades mais básicas, o colaborador conseguirá consultas quando necessário e fará checkups mais frequentemente. Isso diminui a abstenção por motivos de saúde, além, é claro, de auxiliar no engajamento.

Programas de mindfulness

O ambiente de trabalho pode ser muito estressante, pelos prazos apertados e correria do dia a dia. Tudo isso gera estresse, inseguranças e desmotivação como um todo. Ao investir em programas de mindfulnessisto é, atividades que objetivam diminuir a carga mental e o relaxamento, você estará melhorando e muito a qualidade do ambiente de trabalho.

São exercícios de meditação que, atrelados a campanhas de conscientização, garantem a saúde mental de todo trabalhador, evitando casos de depressão e colapsos nervosos que afetam a vida pessoal e profissional de qualquer um.

Creche no ambiente de trabalho

Muitos pais e mães deixam de trabalhar porque não conseguem encontrar alguém para cuidar de seus filhos. Outros, mesmo que consigam, ainda ficam naquela constante preocupação sobre sua segurança. Ao oferecer um espaço no trabalho em que os pais consigam deixar suas crianças durante a jornada, se “mata dois coelhos com uma única cajadada”, afinal, os pais terão um lugar seguro para deixar sua prole.

Invista em treinamentos e especializações

O desenvolvimento pessoal está no topo da pirâmide de Maslow. Mas nem por isso deve ser ignorado. Treinar e especializar uma equipe só traz coisas boas. É impossível discordar que uma equipe com bons conhecimentos técnicos terá uma performance melhor. Assim como boas performances geram autoconfiança, essa, por sua vez, gera mais vontade de melhorar.

É um ciclo de coisas boas que passam a acontecer com a simples semente do conhecimento plantada por uma boa gestão. E mais: treinamentos são ótimos para alinhar toda uma equipe e melhorar a comunicação interna. Uma equipe integrada atinge bons resultados, o que gera autoconfiança. Você percebe aonde queremos chegar?

Sabia que treinamentos e especializações também são um ótimo atrativo de talentos? Veja por exemplo as grandes empresas de consultoria estratégica: entre tantos benefícios, elas costumam financiar o MBA dos seus analistas, demonstrando a vontade que têm de fazer com que as pessoas cresçam dentro da organização.

É muito melhor investir em pessoas de dentro da sua equipe do que buscar sempre soluções por fora. Essa é uma maneira de mostrar o quanto você acredita no potencial de alguém e enviar uma mensagem de que é possível crescer na empresa se certos resultados forem atingidos.

Cursos e treinamentos que fujam do âmbito profissional também são muito bem-vindos. É o caso de cursos com a temática de educação financeira, que podem mudar completamente a vida pessoal de um colaborador que, tendo suas preocupações reduzidas, consegue focar melhor as suas atividades em horário de trabalho.

Ofereça viagens e programas de incentivo

Tanto viagens quanto programas de incentivo podem ser extremamente benéficos para melhorar o moral de uma equipe e despertar nas pessoas o desejo de cumprir metas. Quem não quer começar o ano sabendo que, de acordo com o próprio desempenho, pode conhecer um lugar completamente novo?

Claro que as viagens devem ser extremamente bem planejadas e, se possível, atreladas a algum outro objetivo profissional além do puro lazer, como um congresso, um workshop, uma feira ou um curso. O destino não precisa ser necessariamente caro. Basta oferecer uma oportunidade de fugir da rotina atrelada a uma experiência que venha a ser memorável.

As bonificações funcionam da mesma maneira e podem ser casuais ou estruturadas. Elas exigem um bom planejamento para não gerar ciúmes entre os funcionários e até um ambiente excessivamente competitivo, onde as pessoas são capazes de derrubar umas às outras para conseguirem aquilo que querem. Se aplicadas de maneira saudável, elas podem mudar a forma de uma equipe trabalhar.

Defina um plano de carreira

A definição de planos de carreira ainda é motivo de discussão e dúvidas entre gestores. Afinal de contas, é difícil medir com exatidão o retorno financeiro desse tipo de projeto. Porém, no âmbito pessoal, um plano de carreiras — que nada mais é do que a concessão de benefícios por tempo de serviço, metas atingidas ou avaliação de desempenho — é uma ferramenta motivacional poderosíssima!

Planejar o destino dos colaboradores alimenta as questões de segurança, segunda necessidade humana mais importante de acordo com a pirâmide de Maslow. Um trabalhador mais seguro, e consequentemente mais feliz, consegue produzir mais e melhor.

Além do mais, saber que será reconhecido por seu trabalho é um fator essencial para melhorar o engajamento na hora de cumprir metas, pois trabalhará com o objetivo de adquirir benefícios, promoções etc.

A retenção e a atração de talentos também são facilitadas por esse processo. Isso porque, desde o início, o colaborador terá clareza das ações que deve tomar para chegar no cargo almejado. Em razão disso, o plano de carreiras é e deve sempre ser um dos pilares da gestão de pessoas.

Quando não se sabe aonde vai, qualquer caminho serve.

Gato Sorridente (Alice no País das Maravilhas)

Invista em boas lideranças

Bons líderes são fundamentais para o funcionamento de uma organização. Imagine um sistema de engrenagens: o líder é a engrenagem maior, que, quando se movimenta, aumenta progressivamente o movimento das engrenagens menores, fazendo todo o sistema funcionar em perfeita harmonia.

Um bom líder sabe ouvir seus colaboradores, resolver conflitos e delegar tarefas. Ele organiza um departamento com a mesma habilidade que um maestro rege uma orquestra. Sobretudo, uma boa liderança faz com que sua equipe acredite em seu potencial e atinja resultados.

Portanto, é fundamental colocar as pessoas com as habilidades corretas e incentivar ações que desenvolvam ainda mais esse perfil. Programas de coaching e mentoria são uma ótima opção.

Organize o ambiente de trabalho

É extremamente frustrante trabalhar em um local de completa desordem. A comunicação falha, a dificuldade de realizar os processos em uma ordem padrão, a má distribuição de tarefas, entre outros, podem ser fatores que deixam o trabalho cotidiano ser muito mais dispendioso.

Investir em maneiras de deixar o ambiente de trabalho organizado, não apenas fisicamente, é decisivo para aumentar a produtividade e deixar o trabalhador mais feliz. É a única maneira de criar indicadores e descobrir o que pode ser melhorado. A busca por melhorias deve ser contínua, com a busca por excelência na produção e no clima organizacional.

Enfim, deu para perceber a importância da motivação para o sucesso de uma organização, não é mesmo? É um caminho árduo, mas extremamente compensador, e os frutos podem ser colhidos desde o momento em que as primeiras ações já são feitas. Não custa lembrar que uma empresa sem colaboradores é apenas um amontoado de concreto.

Se você gostou deste conteúdo e quer se aprofundar ainda mais no mundo do engajamento, leia este artigo sobre como a cesta básica atua na motivação profissional. Até a próxima!

Deixe um comentário