O melhor guia da internet sobre liderança!

Exercer a liderança não é tarefa fácil, não é mesmo? Do contrário, qualquer profissional estaria apto ao posto, não sobrando espaço para outros cargos e atividades técnicas operacionais que exigem o direcionamento de alguém com poder de influência sobre as pessoas.

Por isso é tão importante entender não só o verdadeiro conceito como também o que se espera de um líder à frente de uma equipe e o papel que desempenha diariamente para alcançar os resultados almejados pela organização. Não por acaso, uma boa liderança só traz benefícios para a empresa, que vão desde a padronização do trabalho em equipe até a capacidade de extrair o melhor potencial de cada um, sem perder o foco no resultado conjunto.

Na internet, há grande variedade de conteúdos sobre o tema, mas é aqui que você encontrará o melhor conceito e as melhores dicas sobre essa ferramenta de gestão tão relevante para o sucesso de uma empresa. Portanto, continue a leitura deste post e descubra como você, gestor, pode melhorar sua capacidade de liderança e alcançar resultados ainda melhores!

Qual a importância da liderança nas empresas?

Muito mais do que um nível superior de poder e influência, a liderança é um comportamento imprescindível dentro das instituições. Nesse sentido, o líder é o responsável por estimular o ritmo de um grupo de pessoas, o que faz com que a sua responsabilidade vá além dos propósitos da empresa.

Claro, todo trabalho é importante e são os mais variados talentos que fazem a engrenagem rodar, mas existe aquele profissional com perfil diferenciado e naturalmente alçado ao posto de líder, que dita regras, estabelece prazos e potencializa resultados por meio da contribuição individual.

Se compararmos a empresa a uma orquestra, o líder a um maestro e o funcionário a um músico, por exemplo, será possível compreender a grande responsabilidade dessa figura de comando e sua posição de destaque perante os demais.

Assim como cada músico domina um instrumento e executa nele o melhor som, cada funcionário entrega seu melhor trabalho sob um bom comando. Assim, toda a importância da liderança é reconhecida quando a produtividade se transforma em rentabilidade.

Em “O Monge e o Executivo”, um livro sobre a essência da liderança, o autor, James C. Hunter, ressalta e define que liderança é a habilidade de influenciar pessoas para trabalharem entusiasticamente, buscando atingir objetivos comuns e inspirando confiança por meio da força do caráter.

Ele afirma ainda que liderar é a capacidade de influenciar as pessoas para o bem, fazendo com contribuam com entusiasmo e, de preferência, com o coração, a mente, a criatividade, a excelência e outros recursos, se tornando as melhores que são capazes de ser.

Tamanha responsabilidade não pode ser encarada com uma jornada morna e ineficiente. É preciso empenho e engajamento, motivação e entusiasmo para conduzir um grupo de pessoas na mesma sintonia. Ou seja, não basta apenas desejar que seja cumprida uma missão sem entrar no campo de batalha com todos que lutam por uma vitória.

A humildade de um líder e o respeito com que trata cada pessoa ao seu redor fará com que suas habilidades e poder sejam cada vez mais validados e enaltecidos por um grupo de profissionais disposto a trabalhar arduamente para atingir os resultados.

Quais os principais perfis de liderança?

Vamos falar agora sobre os perfis de liderança e as características que acompanham cada um deles. É fato que o objetivo da liderança é um só: sucesso seguido de lucro, então, como não existe uma fórmula única de gerenciar pessoas, é preciso entender as metodologias e particularidades de cada tipo de gestão. Vamos lá?

Liderança coach

Uma empresa sem pessoas nada mais é do que uma estrutura de alvenaria e um amontoado de equipamentos que, sem a interferência humana na operação, ganham obsolescência instantânea. Tendo isso em vista, o líder coach sabe que precisa dar maior ênfase ao desempenho humano para obter o resultado esperado.

Um líder com esse perfil reconhece as habilidades de cada liderado e não apenas se aproveita delas, como também promove o desenvolvimento constante, a fim de poder contar sempre com uma mão de obra qualificada e diferenciada.

A motivação é seu grande trunfo e ele é incansável na tarefa de despertar em seus funcionários um desejo crescente de contribuição, construindo uma jornada cíclica de melhoria contínua para entregas cada vez mais eficientes.

Nesse perfil, percebe-se um estilo de comportamento sempre positivo e envolvente, que se amplia para todos os setores, criando uma atmosfera saudável e um ambiente colaborativo, ainda que competitivo.

A palavra coaching é originada do inglês, uma alusão aos coches — carruagens inglesas — que conduziam as pessoas aos mais variados destinos. Assim também são os coaches, que conduzem as pessoas pelos diversos campos do saber e do desenvolvimento, tendo prazer absoluto em ir além do esperado e levar junto consigo seu time de especialistas.

Liderança democrática

É a liderança que compartilha, divide e soma junto com seus liderados, sem perder a autonomia sobre a decisão final. Para esse líder, a opinião da equipe, as ideias surgidas em meio aos processos em andamento e a troca de informações constantes são fundamentais para o êxito de qualquer projeto.

O líder democrático quer que todos sejam beneficiados direta ou indiretamente, pensando em todas as possibilidades de promover o crescimento e o aproveitamento de cada potencialidade. Assim, busca criar uma atmosfera de relacionamento amistoso e sadio entre todos da equipe.

É o tipo de liderança que tem plena consciência de que o sucesso de um trabalho tem participação ativa de todos e que, portanto, precisa dividir o brilho conquistado, elevando também a equipe diante da vitória. Inclusive, nunca fala na primeira pessoa do singular e prefere exaltar o “nós” quando se refere a algo do seu departamento.

Liderança liberal

Esse é, de certa forma, o tipo de liderança dos sonhos, mas pode ser uma cilada se for não bem estruturado, com um líder maduro e desprendido. Acontece que um líder liberal acredita que sua equipe se conduz e produz sozinha, sem a necessidade da sua presença ou acompanhamento constante.

Nesse formato, acredita-se que os profissionais — qualificados e maduros — têm plenas condições na tomada de decisão quanto a alguns rumos a seguir, sem que dependam de um líder para o veredicto final. Porém, existe o risco de a falta de acompanhamento gerar funcionários relaxados e pouco dedicados.

O ser humano é dependente por natureza e deseja que alguém se preocupe, ainda que diga o contrário, e é nesse viés que a liderança liberal pode esbarrar. Talvez um pouco de pressão e cobrança faça com que mesmo o funcionário mais autossuficiente descubra que ser gerido lhe faz bem.

Liderança situacional

Em toda empresa, existem pessoas de todos os tipos, que trazem uma bagagem de vida diferenciada e pautada em questões familiares, religiosas e por vezes filosóficas, fazendo com que seu comportamento seja diferente dentro de um grupo de trabalho.

É preciso que um líder inteligente saiba filtrar essas diferenças e trabalhar com cada uma delas a seu favor. É aí que entra a liderança situacional e seu benefício para a empresa. Um líder que saiba identificar as particularidades de cada liderado e que trabalhe com todas elas caminha sempre à frente.

É uma missão difícil, pois, ao lidar com o jeito de ser de cada um, suas crenças e valores, e inserir tudo isso no contexto profissional, fatalmente, o líder situacional absorverá uma grande carga emocional e precisará se cuidar para que o esgotamento não o domine.

A preocupação da liderança não é só com a personalidade de seus funcionários, mas também com as situações diárias que exigem que ele pense rápido e tome decisões acertadas diante de cada uma delas. É um líder que, ao escolher esse tipo de gestão, tem habilidade suficiente para múltiplas adequações.

Liderança autocrática

É o tipo mais temido, pela inflexibilidade com que o líder trata todas as questões que envolvem sua gestão. Nesse modelo, todas as decisões são tomadas com base em suas próprias percepções, sem dar à equipe o benefício da opinião. Isso pode criar um ambiente sombrio, sem qualquer afetividade.

O foco desse líder é resultado, não importando a que custo, desde que cada liderado siga suas ordens de maneira sistemática e obediente. Não é a liderança apropriada para empresas que exaltam o trabalho em equipe e a importância das pessoas em amplitude geral.

Embora seja um tipo de liderança menos exercida nos tempos atuais, ainda vemos em algumas empresas esse formato, que tem por consequência alto índice de turnover (rotatividade) e absenteísmo, comprometendo os resultados imediatos e, posteriormente, os lucros da empresa.

Quais as habilidades necessárias para um bom líder?

Identificar um líder não é tão simples quanto parece e existe todo um aspecto comportamental envolvido. Vários são os adjetivos que poderiam determinar a postura de um líder e, a seguir, vamos exemplificar alguns para auxiliar nessa identificação!

Ser confiável

Para ser verdadeira, a confiança precisa ser mútua e isso não se constrói da noite para o dia, exigindo um esforço da liderança para conquistar os seus liderados. Porém, antes de tudo, é preciso ser confiável. Isso quer dizer que toda e qualquer atitude do líder será observada de perto pela sua equipe, que buscará elementos recorrentes em sua postura cotidiana, que inspirem confiança.

Ser empático

Colocar-se no lugar do outro é fundamental para entender suas dificuldades e anseios. É comum que o líder delegue atividades sem verificar alguns detalhes, desde a etapa inicial até a conclusão. Por isso, a empatia é um diferencial de peso na postura de um líder.

Ao delegar uma tarefa, é importante saber se escolheu o profissional correto, conhecer o tempo de execução e a criticidade de execução, para realizar um bom acompanhamento e, principalmente, acertar nas escolhas.

Delegar tarefas

E, por falar em tarefas, nada é mais complicado do que um líder que tenha dificuldades em delegar tarefas, mesmo desejando resultados. É fundamental distribuir atividades e exercer o verdadeiro papel do líder, que é o de acompanhamento e compilação de dados.

Um líder que não sabe delegar e centraliza todas as demandas dificilmente terá bons retornos, comprometendo o desempenho e os resultados de toda a empresa. Certamente, esse não é o melhor caminho e, se o líder alcançou o patamar de comando, precisará desenvolver uma habilidade tão importante quanto essa.

Falar, mas saber ouvir

Dar e receber feedbacks é tão importante quanto comemorar um sucesso, pois ele só acontece se a equipe estiver em total sintonia. Isso pode ser a consequência de uma troca saudável de informações sobre as etapas do processo.

Ao líder, cabe a transparência e a honestidade em dizer o que não está de acordo com suas expectativas quanto a um trabalho, mas também cabe a ele saber ouvir a versão de seus liderados quanto às dificuldades enfrentadas. Eis uma das diferenças mais gritantes entre chefia e liderança.

Construir uma boa comunicação

O líder é um espelho e todas as suas ações tornam-se referências para seus liderados. A energia presente na fala de um gestor determinará o sentimento do funcionário e isso fará grande diferença durante o processo.

O líder que tem fala mansa e pausada faz com que o liderado receba uma tarefa com calma. Já o líder agitado e imediatista pode causar insegurança em toda uma equipe e comprometer suas ações. Não é uma equação exata — é possível que o inverso também ocorra e, por isso, equilibrar liderança e liderados é tão importante.

Ser exemplo

O exemplo vem acompanhado de boas condutas, sejam elas pessoais, sejam profissionais. Um líder precisa ser a melhor referência profissional para seus liderados, assim como os pais são modelos a serem seguidos para os filhos.

Ser pontual, ter plena capacidade de análise, deter um conhecimento técnico apurado, ser motivado e engajado, ter uma visão de futuro ampliada e demonstrar interesse pelo desenvolvimento da equipe são alguns atributos que saltam aos olhos e atingem diretamente o coração daquele funcionário que deseja alcançar a mesma posição um dia.

Como melhorar sua capacidade de liderança?

Promover diariamente um novo olhar sobre o mesmo ambiente e as mesmas atividades — se o líder consegue enxergar um universo novo dentro de uma rotina, conseguirá melhorar sua performance de gestão.

Todos esperam que o líder tenha respostas para os variados problemas e isso acontece de maneira natural dentro de um cenário em que ele se destaca por excelência. Não importa quantas vezes forem necessárias suas intervenções, em todas elas, deverá estar a postos e motivado para solucionar problemas.

As capacidades do líder não estão somente atreladas ao seu desempenho à frente de uma equipe e de um projeto, mas também ao saber valorizar todos que colaboram para seu sucesso e da empresa. Então, caso seja possível, proporcionar algum tipo de bônus para a equipe aumentará a fidelidade dos seus comandados.

Oferecer benefícios para funcionários, como cestas básicas, cestas presentes ou presentes premium quando uma meta for batida, por exemplo, cria uma atmosfera positiva entre toda a equipe, incluindo o líder, que terá sua capacidade de liderança melhorada.

De um líder, se espera um comportamento de referência e, para isso, é importante que ele tenha algumas atitudes com sua equipe, que faça cada colaborador ter orgulho de pertencer ao seu time. Tome nota:

  • elogiar em público e chamar a atenção no privado;
  • ser paciente e bom ouvinte;
  • manter o equilíbrio emocional;
  • estabelecer objetivos alcançáveis de acordo com o perfil da equipe;
  • usar o poder do cargo de forma equilibrada e sensata;
  • entender o perfil de cada funcionário e alocá-lo em atividade condizente;
  • ser transparente e objetivo quanto ao que espera da equipe;
  • planejar antecipadamente para delegar corretamente;
  • valorizar cada liderado por seu desempenho e bonificá-lo por isso;
  • aprender algo novo para compartilhar com a equipe, estimulando sempre;
  • promover brainstorming antes da execução de um novo projeto;
  • não ter posse da verdade absoluta, permitindo-se a reflexão e o recuo;
  • conhecer a equipe e ter amor pelo trabalho.

Essas são algumas das atitudes que podem causar uma ótima impressão em toda uma equipe e fazer com que a admiração seja imperativa e crescente. Embora a liderança seja de certa forma um trono solitário, a caminhada será mais amena e interessante se compartilhada.

Por fim, antes de querer entender o comportamento de um liderado, é fundamental que um líder conheça a si mesmo e desenvolva aquilo que pode afetar negativamente sua gestão. Essa autocrítica é o termômetro para aprender a lidar com as dificuldades enfrentadas nas relações de trabalho e ser o mediador nas questões de embates.

Como identificar perfis de liderança na empresa?

Quando surge a demanda para um novo cargo de gestão em uma empresa, é comum buscar um perfil fora, quando, na verdade, ele esteve o tempo todo dentro da organização. Então, o que faz com que o olhar não tenha se voltado para esse profissional?

Identificar um perfil potencial não é algo que se nota apenas com um breve olhar e é preciso muito mais para avaliar características que vão ao encontro da liderança, sendo importantes algumas análises por um período para atestar o que a sugestão já dizia. Veja mais detalhes:

Desempenho

O funcionário é comprometido com as normas e procedimentos da empresa, dedicado ao trabalho e preocupado em fazer todas as entregas em tempo hábil e com eficiência? Esse pode ser um bom perfil de liderança.

Há funcionários atentos e que, sempre que possível, buscam se aprimorar em algo e adquirir cada vez mais conhecimento para incluírem em seus portfólios profissionais, deixando suas vitrines curriculares ainda mais atraentes.

Há também aqueles que fazem questão de transformar para melhor todo o ambiente de trabalho, harmonizando-o de forma a deixar satisfatório para todos, exalando uma energia boa por onde passam, sem deixarem, contudo, de lutar pelos seus interesses, em uma ambição saudável e transparente.

Perfil comportamental

Um bom técnico não necessariamente será um bom líder. Assim, possibilitar que um profissional ocupe um cargo de liderança sem ter avaliado seu perfil é correr o risco de não vê-lo desempenhar um bom papel nessa função, e mais — sem a possibilidade de retornar à função anterior.

É importante conhecer de perto suas motivações pessoais e profissionais, pois, muitas vezes, as influências externas determinam as atitudes internas. Dentro dos quatro tipos mais conhecidos — comunicador, executor, planejador e analista —, é possível apontar líderes em potencial conforme as necessidades da empresa.

Perfil inovador

A competitividade está batendo à porta das empresas diariamente e cada profissional é corresponsável pelos sucessos alcançados, fazendo com que a inquietude seja uma aliada constante, não permitindo a inércia que vez ou outra teima em imperar.

Essa é uma competência estratégica bem-vinda em todo o contexto moderno e digital de empresas que buscam unir processo e performance, números e resultados, e produtividade e lucro, sem deixar de investir em seu maior patrimônio, que é o humano.

Aquele profissional com perfil inovador, que busca alternativas para os problemas, criando melhorias para processos complexos e usando cada dia mais a tecnologia a favor de suas entregas tem chances de ser um ótimo líder, pois se envolve naturalmente e se engaja em todas as instâncias.

Proatividade

Um profissional proativo está sempre um passo à frente, busca e colhe informações, dá ideias para a execução de um novo projeto e contribui para um excelente trabalho e satisfação plena dos clientes. É um tipo de pessoa inquieta e sempre disposta a pesquisar, conhecer e melhorar.

A proatividade faz parte da vida daqueles que desejam ir além, mesmo que não sejam elevados a um patamar de liderança. Primeiro, eles executam com o melhor que podem entregar para, depois, receberem o convite para participarem de um processo seletivo ou serem promovidos por mérito.

Se você deseja contribuir de maneira eficiente para os resultados da sua empresa e busca um melhor desempenho como líder, aqui, pôde identificar elementos substanciais para aperfeiçoar seus processos de gestão e fazer com que seus liderados sigam no mesmo ritmo.

Aplique as melhores soluções dentro da realidade da sua empresa, sendo coerente ao escolher o tipo de liderança que melhor se aplica à sua realidade e obtenha melhores resultados. É muito importante que você entenda a filosofia da empresa e reme a favor da maré, para não causar dissonância e gargalos.

Gostou deste post sobre a liderança? Encontrou nele as melhores práticas para se tornar um líder vencedor? Então, aproveite a visita para assinar a nossa newsletter e receba todas as novidades do nosso blog em sua caixa de entrada!

Deixe um comentário